23/04/2017

Não volta mais não.



''Não volta mais não'' - é tudo o que eu tenho pra te murmurar, chegou o momento de seguir em frente, de olhar pra longe e sonhar alto, de ter alegria acentuada, de virar a página com pressa, de engolir o choro rude e cru, de vestir o sorriso mais elegante e dar o fora. O coração tá doído, a mente tá embaraçada e a saudade? Ora, essa eu despejei no lixo aqui de casa. É hora do término, antes mesmo de começar. Não volta mais não, pois a bagunça já está formada e o coração encontra-se em mil pedaços. Eu gosto de você, cara, mas gosto muito mais de mim, gosto muito mais de tudo que é preenchido com sentimentos coloridos, não curto o nosso preto e branco falhado, borrado, manchado. Eu gosto de você, cara, mas minha mente gritante diz que sou merecedora de mais. Eu gosto de você, cara, mas ultimamente eu tenho sido fria com esses teus depósitos de afeto sujo. Eu gosto de você, cara, mas o meu erro foi tapar os teus defeitos como quem fecha os olhos e se recusa a enxergar. Você foi um erro, um erro que eu não pretendo entulhar por aqui e nem esconder debaixo do tapete como fiz antes. Não era amor, mas por um tempo eu queria que fosse. Eu quis eu, e quis você no plural, mas não dar. Não quero continuar me destruindo por dentro cada vez mais, a  minha mala tá pronta e já não quero mais ter que me envolver nesse barco de sentimentos podres e vomitados que só eu deposito amor , enquanto você só deixa os teus restos quebrados e fissurados. Não quero ser mais um ''contatinho'' que você só procura quando sente a chamada carência. Eu cansei de tudo que atrasa, de tudo que estressa e arranca pedaços de mim. Adeus, é tudo o que eu tenho pra pronunciar. Vou sentir falta do nosso beijo não dado, do nosso abraço que não senti, da nossa conversa não continuada, do nosso amor que nunca existiu, Vou sentir falta dos teus elogios, da tua voz e até mesmo dessa tua barba impecável. Vou sentir sua falta, depois menos, e depois nada. Vou sentir a dor alfinetar, mas depois passará. Você não era o homem dos meus sonhos, você não era a perfeição que eu quis pra mim. Você não era o cara foda que todas sonham em ter um dia. Você só era mais um que passou pela minha vida pra mostrar que nunca seríamos nada. Você não era o ideal pra mim e isso me desmanchou. Você era aquela pessoa que eu fantasiei certinho na minha cabeça, mas que era totalmente ao contrário na vida real. Você foi só mais um cara que eu entreguei os sentimentos numa bandeja e quebrei a cara. Você é só mais um  que não veio para somar, só para me diminuir. Não volta mais não, antes um coração decidido, do que tomado de bolhas de acidez. Não volta mais não, pois hoje eu tenho a certeza do que eu quero, e não inclui você e nem a nossa história ensaiada. Não volta mais não, porque eu não quero só sexo e palavras bonitinhas que qualquer um pode me dizer, eu quero sentir a emoção de amar e ser amada. Eu quero poder sentir o sentimento bater mais alto no meu peito. Eu quero sentir tudo que há de bom nessa vida, por isso, não volta mais não, eu prefiro a dor do vazio do que ter o coração repleto de ilusões.''

04/09/2016

Uma carta de despedida.

















Esta não é uma carta sobre a minha ausência por essas semanas, muito menos sobra a tua. Também não é uma carta te convencendo de que eu sou a mulher da tua vida e que você não será mais feliz com outro alguém. E nem é uma carta pra falar do quanto você me magoou e que possivelmente sentirá remorso. Talvez cê nem leia isto, e não importa. Eu não o escrevi com este intuito. É que não dar mais para eu continuar indo atrás, insistindo, mandando torpedos, tentando acertar os pontos que ainda estão soltos, tentando fazer com que você mude de decisão e venha correndo arrependido com esse teu sorriso que me desmorona em segundos. Não dar para resolver o caos sozinha. Não dar para arrumar essa bagunça da noite pro dia se eu ainda for dependente do teu socorro. É que tentei fazer a minha parte, moreno. Agora não depende de mim, mas estou serena, porque sei que ser for amor, ele vai reviver algum dia.

Esta é uma carta de despedida. Não é uma carta comum como às outras. É algo para ser escrito como desabafo, depois amassado e jogado no lixo. Não foi simples tomar rumo para resolver partir. Mas precisei agir de imediato. Não foi inteligível e nem está sendo. Não estou vivendo o melhor dia, muito menos a melhor fase da vida. Admito que ainda está doído. Ainda acordo com um vazio tremendo dentro de mim. E passo os dias tentando não me lembrar de que algum dia existiu a gente. Parece um soco no estômago que ainda não digeri. Ainda olho nossas fotos e me pergunto como é que tudo acabou, e a minha ficha ainda assim se recusa a cair. Eu entendi os teus motivos, moreno. Eu não te culpo, mas também não me culpo. Nunca estive à procura de um culpado, mas sim de uma solução. Admito que me assustei um bocado com o teu comportamento um pouco áspero naquele dia em que pedi pra cê dar uma segunda chance pra gente. E você não deu. Tive que me manter em equilíbrio pra aceitar a tua resposta seca e fria. Então decidi que eu iria seguir à diante e abolir você de mim. Até porque; amor não é sinônimo de sofrer. 

Agora estou realmente indo embora, moreno. Indo cada vez mais longe do teu caminhar. Indo ficar no meu cantinho e não buscar mais memórias de nós. Esta é uma carta de despedida. Uma carta para ficar no pretérito. Uma carta que pode ser lida e esquecida, não sei. Uma carta que faço questão de traçar linha por linha, porém, não quero nunca mais reler, nem lembrar, nem pensar. Esta é uma carta para desengasgar o luto que ficou. A dor que feriu. Esta é uma carta para eu dizer adeus. Não um adeus de ''até logo'', mas sim um adeus de ''eu não espero mais nada de você'', nem da gente. Tô deixando pra trás, pra amanhã, pra depois de amanhã, pra cá ou pra lá, pois sei que; quando é amor, o errado torna-se certo, o impossível torna-se possível, o medo torna-se coragem. Quando é amor, não há desculpas, pretextos e obstáculos. Quando é amor até o ponto final vira reticência. 

03/09/2016

Sobre como te esqueci.

Fonte: Pixabay.

Te esquecer não foi uma tarefa fácil, e estava bem longe de ser. Por algumas semanas estive desnorteada, abalada, angustiada e chorona. Eu só sabia me culpar pelo nosso fim. Eu só sabia lembrar dos teus afagos e manias vinte quatro horas por dia. Eu só sabia sustentar a ideia de que em breve essa dor iria se esvair. Foi difícil enterrar toda a nossa história e aceitar que tudo se foi tão de repente. Agora você seria passado. O passado que eu não queria ter, pois apostei demais na gente, achando que cê faria o mesmo. E não fez. Você pulou do barco muito antes de dizer adeus. Enquanto eu tive que encarar a tempestade árdua sozinha e continuar lutando para que eu pudesse sair ilesa desta fase. Fui me forçando a esquecer o que eu mais queria lembrar. Fui me forçando a esquecer você quando notei que eu estava vivendo a tua vida e deixando a minha pra lá.

Foi complicado. Eu sinceramente achei que não iria suportar a dor gritante no meu peito. Foram dias de luto por sua causa. Mas fui te esquecendo, aos poucos, devagarinho. Até que me dei conta de que as minhas lágrimas começaram a cessar. Parei de te stalkear nas redes sociais; e não dei tanta importância quando soube que você estava bem sem mim. Parei de me preocupar em saber aonde você iria nos próximos finais de semana. Se estaria acompanhado ou não. Parei de criar expectativas e já não queria mais saber se o seu coração pulsava em ritmo acelerado quando eu passava por você. Comecei a não querer mais te enviar mensagens e já não era mais do meu interesse saber como estava sendo a sua rotina. Te esqueci. E não foi fácil. Te esqueci não porque eu quis, mas porque não era questão de escolha.

Doeu de verdade todo esse processo. Eu tinha te esquecido, e isso me custou muito, mas é assim, há feridas que precisam ser saradas; e exigem um certo esforço para se obter resultados satisfatórios. Eu estive no chão durante um tempo, mas enxerguei que não preciso me modificar pra caber em ninguém. Eu tive que me obrigar a deletar todas as memórias que ainda sobraram de nós. Eu tive que deixar você ir para o seu canto e eu ir para um caminho bem diferente. Eu tive que abrir mão de todos meus sonhos com você e desistir da gente. Largar tudo por ai e dar continuidade na minha vida. Então eu esqueci. Te esqueci naquele dia em os meus assuntos já não eram mais voltados em você. Te esqueci, porque tive que esquecer. Te esqueci quando ao ouvir seu nome, já não senti nada. Te esqueci, porque eu precisava me desprender de um amor morto. Te esqueci naquele dia em que você quis voltar. E eu quis ir.


21/01/2016

Eu só queria agradecer pela sua ida.

Fonte: Pixabay


















Eu só queria agradecer por cada ligação minha que você não retornou. Eu só queria agradecer por cada mensagem minha que você recebeu e não visualizou. Queria agradecer também por você ter deixado dúvidas sobre o seu sumiço que tanto me lesionou. É que nutri demais o nosso relacionamento achando que você faria o mesmo. Fui inocente, pensei que você era mais, mas você sempre foi menos. Eu só queria te agradecer por você ter sido tão estúpido nas horas em que precisei de você. Foi pelo seu desamor, que enxerguei a burrada que era lutar por você.

Eu só queria agradecer por cada vez em que a saudade amassou o meu peito e você não me ajudou. Por cada declaração não atendida. Por cada grito não dado. Por cada palavra não compreendida. Por cada promessa que não saiu do papel. Por cada mentira esfarrapada, e pelo atrito que você criou entre nós.

Eu só queria agradecer por você ter se despachado tão depressa da minha vida, largando para trás a nossa história muito mal escrita, enquanto eu tentava resgatar as partes que ainda restaram, pois eu acreditava que era só uma fase, de que logo iria passar. Obrigada por ter me feito chorar baixinho na madrugada árdua, enquanto você curtia uma farra com uns amigos e degustava de uma gelada. Obrigada também, pela sua estupidez que me fez bater a cabeça na parede tentando remexer respostas de onde é que eu tinha errado contigo.

Eu só queria agradecer pelas suas juras de amor que não duraram nem uma estação, e que me fizeram engolir toda essa amargura num gole só. Obrigada por ter pulado fora daqui a tempo de eu não me arrepender. Obrigada pela sua ida sem qualquer explicação. Obrigada por ter saído da minha vida escondido sem que eu pudesse ter a oportunidade de armar algo para que você ficasse. Obrigada por ter me poupado de dores que só me fariam mal. Eu só queria dizer; obrigado por não me corresponder, porque se não fosse por essa sua frieza, eu jamais conseguiria entender, que algumas dores são mais que necessárias. 



Image Map